quarta-feira, 25 de junho de 2014

12 Dicas para quem quer escrever um livro

Postado por Alícia Guimarães às 16:45

    Sei como essa dúvida atormenta a cabeça da maioria dos novos escritores. É meio complicado pensar em como escrever de fato. Mas, antes de começar a pensar no início do livro, pense se você vai querer escrever uma obra ou ser um escritor propriamente dito. Há diferenças. E você tem que colocar na sua cabeça, também, que escrever um livro não vai lhe tornar rico, muito menos famoso. A não ser que corra atrás disso depois do seu trabalho finalizado. No momento que você decidir que quer publicar algo, tem que ter em mente que é uma coisa que fará porque gosta, e não por dinheiro ou fama. As emoções que um autor sente ao concluir uma obra, é algo indescritível. Ele tem que sentir o que escreveu. Porque tudo aquilo veio da nossa própria cabeça. Decidi postar algumas dicas para quem pensa em escrever um livro porque sei como é difícil começar uma história.
  1. Leia muito. Não adianta você querer se tornar um best seller se não gosta de ler. Até porque não tem lógica nenhuma, né? Geralmente quem ler muito, escreve bem. Daí você tira... Quem gosta de ler, conhece palavras diferentes, aprende novas coisas, sabe das estruturas de livros, se aquela cena é ou não desnecessária na obra, essas coisas básicas.
  2. Comece por pequenas coisas. Se você abrir o Word, começar a escrever um livro sem nunca ter escrito nada antes, a não ser que você seja um gênio, sua obra vai ser um fracasso! Antes de tudo, você tem que saber o que está fazendo, como já disse antes, tem que saber das estruturas certas, tem que ter criatividade. Comece por pequenas coisas, se você gosta de alguma banda ou cantor, que tal começar por uma Fanfic? Alguns autores começaram por lá. Se não curte esse tipo de coisa, já pensou em criar um Tumblr e postar seus contos, textos e histórias? Ou até mesmo um blog. Assim você vai saber se é realmente algo que quer fazer.
  3. Inspire-se. A maioria dos autores se inspiram em alguma coisa. E não é difícil saber em que se inspirar. Sabe aquele filme que você a-d-o-r-a? Que tal se basear nele? E aquela música que te emociona toda vez que você escuta? Já pensou naquela poesia que leu na escola e adorou? Pois é. Se inspire, observe detalhes. Veja técnicas de escrita de outros autores, se inspire em obras que você gosta. Mas, lembre-se: SE INSPIRAR NÃO É PLAGIAR, E PLÁGIO É CRIME.
  4. Quem, o quê, onde, como, por quê? Estas serão suas palavras chaves do começo até o fim da obra. Tente seguir este roteiro. Comece imaginando o enredo, ou seja, do que vai se tratar o seu livro? Pense nos personagens, conflito, clímax, desfecho. Apresente os personagens de forma clara, use todas as suas habilidades de descrição neste ponto. Você tem que pensar, primeiramente em quem fez o quê, em que lugar, como ele fez e o motivo de ter feito. Tenha uma história em mente! Lembre-se disso.
  5. Organize as ideias. Esta é uma outra coisa que muita gente peca quando decide escrever um livro. Você tem criar uma linha de ideias, anote tudo que vier na sua cabeça e leia em seguida. Pode ser o começo, meio ou fim da história, mas se você leu algo que deu aquela ideia para uma cena: anote. Não leve em consideração coerência ou ordem. Simplesmente escreva. Depois, quando for analisar, vai saber exatamente o que fazer.
  6. Faça um resumo antes de começar. Analise tudo o que organizou e faça um resumo daquilo. Reescreva toda vez que alguma nova ideia surgir, veja o que está faltando, coloque mais detalhes cada vez que reescrever o resumo. Decida se o narrador será de primeira ou terceira pessoa. A partir daí que você terá a base de como começar a escrever pra valer.
  7. Escreva todos os dias. Nem que seja por um curto período de tempo, ou até mesmo se você não aproveitar muito o que escreveu. Manter um hábito diário te ajuda a focar naquilo. Claro que não é para passar o dia todo na frente de um computador. Basta estabilizar horários, talvez sua inspiração venha após ler um livro, ou assistir um filme, então observe isso. Lembre-se que a partir de agora este será o seu trabalho. Já pensou o problema que causa ficar faltando no trabalho sempre? Mas, respeite o seu corpo. Se acontecer de você não está se sentindo bem em tal dia, deixe para outra hora. Mas, não esqueça que é o seu trabalho. Se você quer sucesso, não abandone-o. 
  8. Peça ajuda. Não adianta muito escrever duzentas páginas que você julga "publicáveis" se não tem alguém que te ajude com isso. Chame algum parente próximo que você confie e tenha tempo disponível para ler o que você escreveu. Talvez aquela cena esteja boa para você, mas para quem está lendo não está tão boa assim. E você não está escrevendo para si próprio, e sim para outras pessoas.
  9. Pesquise. Essa dica serva mais para quem quer escrever sobre uma garota que vive em Londres ou  alguém que vai fazer uma viagem para a Disney (Opa, Alícia!). Não tenha vergonha de perguntar para alguém que já conhece o lugar onde você está escrevendo. É importante demais. Principalmente se você precisar contar que o personagem foi fazer uma visita ao Big Ben, pesquise a história do Big Ben! Mesmo que você já tenha ido, é legal perguntar para quem mora, para outras pessoas, informação neste quesito é tudo!
  10. Tenha domínio do português. Dica importantíssima! Não precisa ser uma gramática ou crítico literário neste ponto. Também não é preciso incorporar Machado de Assis em pleno século XXI! Evite gírias (a não ser que o seu personagem use com frequência, porém tenha cuidado, gíria demais torna a leitura muito chata!), seja simples. Respeite a norma padrão da língua, tudo bem se não souber onde enfiar a vírgula (tão eu!), mas tenha cuidado ao escrever. Não tenha pena de devorar o dicionário, leia-o! Pesquise. Não confie nas correções do Word, muitas vezes ela atrapalha mais do que ajuda. 
  11. Prepara-se para a pior parte. Se você acha que a pior parte é escrever, sinto muito, meu querido, você está muito enganado! Escrever é a melhor parte. Ruim é quando termina. Você se apega demais aos personagens, porque de uma forma ou de outra, eles viveram contigo na maior parte do seu tempo. O pior mesmo é ir atrás de editoras. Se você escreveu um livro, creio eu que está querendo publica-lo, certo? Então... Dedique-se. Pesquise editoras que publicam obras parecidas com a sua. Não envie um romance para uma editora religiosa. Este processo é o mais demorado e decisivo de todo o seu trabalho, chega a durar anos! Mas, você pode pagar uma editora sob demanda, entretanto, isso fica para outro post.
  12. Saiba ouvir "não". A única certeza que tenho de tudo é que não será a primeira editora a dizer um "sim" para você. Serão meses ou até ANOS de busca até encontrar uma que queira publicar o seu livro. Nesse meio tempo você vai ouvir muitos "nãos", porém não desanime. Isso não quer dizer que sua obra seja uma droga, e sim que você precisa continuar a luta. Não é fácil, mas não desista. Quanto maior for a batalha, maior será o sucesso.
    Finalmente, terminei todas as dicas que andei pesquisando por esses dias. Todas foram de minha autoria, mas óbvio que eu tenho que pesquisar muito para fazer uma coisa legal para vocês. Lembrando que são só DICAS! Cabe a você levá-las os não a sério. Não sou nenhuma escritora profissional, mas tenho observado que todas as dicas que citei são úteis, pois passei por tudo isso e estou vivendo a número 12! Deixo aqui o meu boa sorte e o meu total apoio. Se precisar de ajuda, sem dúvidas posso te orientar. Sempre é bom ter alguém para compartilhar um dos momentos mais legais da nossa vida: o nosso primeiro livro!
    Ah, esqueci de falar que não pare! Se você quer ser um escritor de verdade, continue escrevendo assim que terminar o primeiro. Vai valer a pena. A partir daí, você vai saber se é ou não o caminho que deseja seguir para o resto da vida. Eu já sei que o meu é.

Beijos,

Alícia.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Letras&Cupcakes Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos